Fitocon- Gisele

Plantão

agronômico

gratuito

Clique aqui

Manejo cultural para um cultivo saudável

Técnicas de manejo cultural que auxiliam no desenvolvimento sudável de plantas


Para o bom desenvolvimento e produtividade da lavoura é necessário escolher a planta e sua variedade adequada para a região (genética adequada) e disponibilizar para ela o manejo cultural de forma adequada, assim dificilmente ocorrerão problemas, pois a planta terá de forma equilibrada o que necessita para sua sobrevivência. Com isso é possível que ocorra a diminuição do uso de agrotóxicos na lavoura. 


Veja abaixo técnicas de manejo cultural que auxiliam nesse processo : 


Adubação e irrigação : A adubação deve ser feita após ser realizada a análise de solo, pois ela nos informará a quantidade de nutrientes que o solo analisado tem disponível. Sabendo qual é a quantidade de nutrientes que o solo têm então verifica-se qual é a quantidade exigida pela cultura que vai ser implantada na área e a partir disso é que se faz a adubação nas quantidades  adequadas.
A irrigação também deve ser feita em quantidade equilibrada, ela vai variar de acordo com a fase de crescimento da planta e condições climáticas. Ao utilizar algum sistema de irrigação, recomenda-se que a escolha seja preferencialmente feita por aqueles que não molhem a parte aérea da planta e sim somente a raiz. Caso isso não seja possível então ela deve ser feita no início do dia, para que a planta não permaneça com suas folhas molhadas, assim será evitado o surgimento de doenças. 


Adubação verde : para adubação verde pode-se fazer o uso de coquetel vegetal, que consiste no plantio de uma mistura de sementes de várias espécies e famílias, incluindo, leguminosas, gramíneas, oleaginosas, entre outras. Após ter crescido esse material vegetal é cortado e servirá de adubo e cobertura para o solo.

Para saber como manejar a adubação verde clique aqui


Figura: adubação verde


Rotação de culturas :Essa técnica consiste na alternância regular de culturas de diferentes espécies e famílias, para um mesmo local, seus princípios básicos são de não ter repetição em um intervalo menor de que três anos.  Isso quer dizer que uma mesma cultura só poderá ser plantada no mesmo local após três anos. Fazendo isso as propriedades químicas, físicas e biológicas do solo melhoram, além de reduzir os problemas fitossanitários.


Espaçamento das planta : Para cada espécie agrícola foram feitas pesquisas e encontrada uma medida que permitirá a planta ter bom desenvolvimento ocupando o menor área possível, portanto antes do plantio verifique o espaçamento recomendado para a espécie utilizada. 


Mudas de boa procedência : Mudas devem ser adquiridas de viveiros credenciados /certificados, pois assim evita-se que a planta esteja com doenças.E a muda adquirida deve ter resistência a doenças e pragas mais comuns na área a ser plantada.


Quebra ventos : Eles permitem a redução da velocidade dos ventos fortes e é formado por uma barreira vegetal. Além de proporcionar um ambiente favorável à produtividade das lavouras e dos animais. 


Figura : Quebra-vento


Podas de limpeza : É feita nas frutíferas e permite eliminar focos de pragas e doenças e melhora o  arejamento da planta.Consiste na  retirada de ramos secos, ramos atacados por pragas ou doenças e ramos ladrões, improdutivos. O corte feito na planta deve ser, preferencialmente, tratado com pasta de cobre.


Controle de plantas daninhas/ invasoras : Essas plantas  geralmente consomem os nutrientes do solo que seriam utilizados pelas plantas de interesse,  podem servir de hospedeiras de pragas e doenças agrícolas.
Uma alternativa para o controle delas é a utilização de cobertura vegetal morta, que pode ser obtida a partir do corte de plantas daninhas da área, como citado anteriormente de adubação verde ou até mesmo de palhada trazida de outro local. 


Outras alternativas de controle de plantas espontâneas estão descritas aqui


Cultivos consorciados :  Consiste no cultivo de duas ou mais espécie de planta no mesmo local ao mesmo tempo, permitindo a  maximização da área cultivo. Faz se o plantio de espécies diferentes, um exemplo é o milho com o feijão, como tem características diferentes um auxilia no desenvolvimento do outro, sendo que o feijão fornece nitrogênio para o milho e o milho uma maior ciclagem de nutrientes. As pragas e doenças que atinge uma cultura é diferente da do outra e essa diversidade permite menores danos por patógenos a essas plantas. Além do microclima que  é formado e cobertura do solo que evita as plantas daninhas.


Fontes:


https://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Citros/CitrosNEPequenosProdutores/sementes.htm


http://agroecologia.gov.br/sites/default/files/publicacoes/2-quebra-vento.pdf


http://www.cpatsa.embrapa.br:8080/sistema_producao/spmelao/manejo_do_solo.html

https://canalrural.uol.com.br/sites-e-especiais/projeto-soja-brasil/especial-embrapa-veja-13-dicas-para-um-bom-manejo-do-solo/


Fotos 
https://www.iniciativaverde.org.br/comunicacao-artigos-e-noticias-detalhes/conheca-seis-modelos-de-sistemas-agroflorestais-que-promovem-uso-sustentavel-do-solo


https://nordesterural.com.br/a-importancia-da-adubacao-verde-na-propriedade-agricola/

* Clique na foto para ver a imagem ampliada

Cadastrar/Editar Manejo/Produto

* palavras chaves separadas por vírgula. máx. 5