Fitocon- Gisele

Plantão

agronômico

gratuito

Clique aqui

A importância econômica do cultivo de café na agricultura familiar e como diminuir os riscos econômicos

Saiba qual a importância econômica da agricultura familiar na produção de café e alternativas que reduzem os ricos econômicos dela.


A cafeicultura no Brasil ocupa uma área de 2 milhões de hectares com cerca de 300 mil produtores, predominando a agricultura familiar.


O estado que mais produz café no Brasil é Minas Gerais, seguida por Espirito Santo, outros estados que também são produtores neste pais são São Paulo, Bahia, Rondônia, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás, Mato Grosso, Amazonas e Pará.


A cafeicultura familiar é responsável por 30 a 35 % da produção de café do país e emprega em torno de 1,8 milhão de pessoas por ano, a área colhida corresponde a 44% da área colhida com café no Brasil.



Segundo dados do censo do IBGE de 2017, 90 % da produção de café feita pela agricultura familiar ocorre em monocultivo, devido a colheita ocupar muito tempo deles.


Esta informação assusta, pois para não correr muitos riscos econômicos a produção deve ser diversificada. Uma das alternativas para ter uma produção diversificada pode ser o cultivo agroflorestal.


No cultivo em agrofloresta, o café é plantado junto com outras árvores frutíferas, madeireiras etc.


Uma de agroflorestal com café foi implantada por agricultores familiares da Cooperativa de Agricultores e Agricultoras Familiares do Caroebe (COOPARFAC). Na agrofloresta que montaram eles utilizaram bananeira, cacaueiro, cupuaçuzeiro, cafeeiro, açaízeiro e algumas espécies florestais, como a castanha-do-brasil e andiroba, além das leguminosas gliricídia e ingá.


O cafeeiro é perene e pode produzir por 20 anos, durante este período o agricultor enfrentará muitas variações no preço do café e outras alternativas para se prevenir de riscos econômicos é :


Investir em técnicas que aumentem a produtividade e não somente querer aumentar a área de cultivo;


Produzir cafés especiais ou de forma diferenciada;


Estar organizado em associações/cooperativas, para fazer o processamento e comercialização e que os benefícios do ganho de escala sejam voltados ao produtor e não à organização;


Ter boa gestão do seu negócio, com planejamento de custos, vendas, estratégico.


Referências :


https://www.cafepoint.com.br/colunas/fairtrade-ulisses-ferreira/cafeicultura-familiar-e-o-mercado-de-cafes-214362/


http://www.agricultura.gov.br/assuntos/politica-agricola/cafe/cafeicultura-brasileira


https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/media/com_mediaibge/arquivos/3be463015dc8b27f579e0c3880a6a333.pdf


http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:e03niA9-6ocJ:www.sintagro.cps.sp.gov.br/2017/art/download.php%3Fid%3D61+&cd=12&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br


Fotos :


Embrapa café. Disponível em <https://www.embrapa.br/dia-de-campo-na-tv/2004>


https://www.flickr.com/

* Clique na foto para ver a imagem ampliada

Cadastrar/Editar Manejo/Produto

* palavras chaves separadas por vírgula. máx. 5